O curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi criado juntamente com a então Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Maringá (FECEM), pela Lei Estadual no. 4.070, de 28/08/1959, por iniciativa, à época do Deputado Néo Alves Martins. O curso foi autorizado a funcionar em 1960 e iniciou suas atividades em 1961, sendo que a primeira turma concluiu a graduação em 1964. A incorporação do curso pela UEM ocorreu com a sua criação em 1969 e reconhecimento em 1976.

O curso de oferece, anualmente, 120 vagas, sendo 40 para o período matutino e 80 para o período noturno. O curso está entre os melhores do Brasil, segundo a publicação “Guia do Estudante” e vem conquistando, seguidamente, desde 1994, o “Prêmio Paraná de Economia”, que avalia monografias de conclusão do curso de economia.

Os bacharéis em Economia formados pela UEM têm atuado, de acordo com as habilidades profissionais, em diversas esferas, tais como: setor público, planejamento econômico de empresas e governos, direção estratégica, controle da produção, eficiência produtiva, magistério no ensino superior, entre outras.

Os acadêmicos têm a possibilidade de participar do Programa de Educação Tutorial (PET/Economia), Empresa Junior de Consultoria (ADECON), programa de estágio supervisionado em empresas, monitoria, projetos de iniciação científica PIBIC, PIBITI e PIC (com bolsa CNPq/FA/UEM), intercâmbio internacional e Boletim de Conjuntura Econômica publicado pelo Departamento, entre outras atividades. Os acadêmicos envolvidos nas atividades científicas dispõem de salas próprias para cada modalidade, com unidades de computadores em rede “internet”. Anualmente o Departamento de Economia realiza a “Semana do Economista”, com apresentação de trabalhos dos acadêmicos envolvidos nas atividades científicas sob orientação docente. O Programa de Pós-Graduação em Economia (PCE) também promove regularmente seminários com convidados nacionais e internacionais. Podem, ainda, submeter sua produção científica para publicação no periódico A Economia em Revista, veiculada semestralmente. Igualmente, a coordenação do curso e a chefia do Departamento promovem viagens de estudos visando à interface teoria-prática em seus aspectos pedagógicos.

De acordo com as diretrizes curriculares, o projeto pedagógico pretende preparar um profissional Bacharel em Economia dotado de sólida formação teórica, histórica, quantitativa e instrumental, com capacidade de analisar, interpretar e propor soluções para problemas econômicos atuais, inclusive interagindo com outros profissionais, seja na esfera pública ou privada. Além disso, o graduado em Ciências Econômicas deve obter conhecimento suficiente que lhe permita o acesso a cursos de pós-graduação. Já se verifica há algum tempo a integração e interface entre o curso de graduação e os de pós-graduação. Os alunos com bom desempenho acadêmico na graduação, ao concluir o curso, podem dar sequência na sua formação acadêmica na própria UEM, já que o Departamento de Economia oferece regularmente vários cursos de pós-graduação lato sensu (especialização), bem como a pós-graduação stricto sensu, compreendendo o mestrado em Teoria Econômica, implantado em 1995, com excelente performance, com a nota 4 na avaliação trienal (2007-2009), realizada pela CAPES, e o doutorado em Teoria Econômica, iniciado em 2010 .